Fica Mais Escuro Antes do Amanhecer


Ficha técnica:
2016 | Brasil | drama, thriller psicológico | Digital | 87 min
Roteiro e direção: Thiago Luciano; Elenco: Caco Ciocler (Luciano), Lucy Ramos (Lara), Thiago Luciano (Iran), Kadi Moreno (Rosilda), Imara Reis (Ligia), Walter Breda (Motora), Beto Schultz (Dauríllio), Danilo de Moura (Motora), Domingos Meira (Apresentador), Danny Olliveira (Lidia), Dartagnan Jr. (Cientista); Empresa produtora: Zero Grau Filmes; Coprodução: Canal Brasil; Distribuição: O2 Play; Classificação indicativa: a verificar.

Sinopse:
Um filme que trata do fim do mundo e da depressão de uma maneira poética. Após uma tragédia familiar Iran decide trabalhar em uma fábrica de gelo que fica em um povoado constantemente afetado por mudanças climáticas extremas e fadado a presenciar o último pôr do sol. Paralelamente, em um jogo psicológico de lembranças, Iran trata de sua mulher Lara, que sofre com a depressão de sua perda. Um jogo perigoso que leva a trama para dentro da cabeça de Iran influenciando a vida do povoado. Uma trama recheada de mistério e de personagens instigantes.

Quais consequências da perda de um filho na vida de um casal? Essa é a pergunta que move “Fica Mais Escuro Antes do Amanhecer”, novo longa do diretor Thiago Luciano que estreia em todo o Brasil dia 30 de agosto com distribuição da O2 Play.

Acompanhando o ponto de vista de Iran, o marido, o espectador é convidado a mergulhar no dia a dia de um povoado atemporal, que sofre com as mudanças climáticas extremas e está fadado a presenciar o último pôr do sol antes de o mundo entrar em um período de escuridão total.

Recheado de metáforas, mistério e personagens instigantes, Thiago Luciano construiu o filme com um roteiro anti estrutural e se apropria de linguagem poética para contar a história. “Acredito que o cinema pode não ser só uma boa história, ele também é uma tela a ser preenchida de várias formas e linguagens. Arrisquei na linguagem fílmica e na linguagem estética porque minha intenção é que o público pense sobre o tema e que tenha uma experiência única vendo o filme”, explica o diretor.

Perda e luto são os temas principais do longa. “A ideia do filme surgiu a partir da minha vontade de falar sobre esse mal do século, a depressão, e também sobre a perda. Sei que perder e ganhar faz parte da nossa trajetória de vida, mas esse tema me afeta de maneira profunda e, de uma forma ou de outra, minhas obras esbarram nessa temática”, complementa.

Além de diretor e roteirista, Thiago interpreta o personagem principal, Iran. O elenco traz também Lucy Ramos como Lara, a esposa de Iran que sofre de uma depressão profunda após a morte do filho do casal, e Caco Ciocler no papel de Luciano, o chefe de Iran na fábrica de gelo.

As filmagens aconteceram em cidades do interior de São Paulo como Monte Mor, Louveira, Cordeirópolis e na patagônia. “Como esse é um filme de baixíssimo orçamento e não tínhamos muita verba para levar uma grande equipe para a patagônia, usamos muito efeitos especiais, feito por um grande artista, o Ricardo Einloft, pois as mudanças climáticas do filme são muito bruscas. Depois de rodar no Brasil, fomos para a patagônia com uma equipe menor, e rodamos por lá mais umas 7 diárias. O que percebemos durante a filmagem em temperatura muito baixa, é o cansaço excessivo da equipe. Tudo era muito mais difícil, então no meio da diária estávamos todos exaustos. O André Besen, diretor de fotografia, foi um grande parceiro para compor as imagens que discutimos na pré. Fez um trabalho lindo” explica Thiago.

O longa foi exibido na 40ª Mostra Internacional de Cinema de Sao Paulo, no Fest Aruanda do Audiovisual Brasileiro e no Sydney Word film Festival . Tem produção da Zero Grau Filmes, coprodução do Canal Brasil e chega aos cinemas de todo o Brasil dia 30 de agosto com distribuição da O2 Play.

Sobre o diretor Thiago Luciano
Em sua carreira como cineasta e roteirista, com vários filmes premiados: Longa metragem “Um Dia De Ontem”, protagonizado por Caco Ciocler, Melhor filme no Beverly Hills Hi-Def Film Festival, além do prêmio de Melhor Direção no Festival Iberoamericano de Sergipe. Roteiro e a direção do curta-metragem “Essa não é a história de Gregor Samsa”, melhor filme no 21 Festival Internacional de Curtas de São Paulo KINOFORUM e Toronto Independent Film Festival. Diretor do curta-metragem “Inocente”, Seleção Oficial Los Angeles Latino International Film Festival e Miami Film Festival; Thiago também foi o roteirista e diretor do curta-metragem “CAFÉ TURCO”, premiado pelo júri melhor curta-metragem no Festival de Paulínia, 2011 e Festival Iberoamericano de cinema de Sergipe, 2012. O curta foi selecionado entre os melhores 20 curtas-metragens do mundo, pelo Festival do YOUTUBE Yourfilmfestival, 2012. Na TV, criou e roteirizou a série “Meu Amigo Encosto” primeira serie produzida para o canal VIVA, através do Programa GLOBOSAT de roteiristas. Atualmente participa do núcleo criativo da produtora Panorâmica, com a série “Os Ausentes” um procedural investigativo, que escreve junto com Maria Carmen Barbosa. E está em fase de captação dos longas que assina o roteiro, “CARDUME” e “O Segundo Homem”.

Sobre a produtora
A Zero Grau Filmes Ltda., é uma produtora audiovisual independente de cinema, filmes institucionais e publicidade comercial. Em seu portfólio de cinema, os filmes: “Um dia de ontem” (2009), longa-metragem; e os curtas: “Inocente” (2009); “Essa não é a história de Gregor Samsa” (2010); “Café Turco” (2011), considerado um dos 50 melhores curtas do mundo pelo Festival Youtube (2012); “Of Making” (2011), um “doc” ficção. Todos os filmes participaram de festivais nacionais e internacionais de cinema, tendo recebido vários prêmios e reconhecimentos.

SOBRE A DISTRIBUIDORA
A O2 Play é dirigida por Igor Kupstas sob a tutela de Paulo Morelli, sócio da O2 Filmes, e faz parte do grupo O2, que tem como sócios também o cineasta Fernando Meirelles e a produtora Andrea Barata Ribeiro. Em atividade desde 2013, a O2 Play se diferencia das demais distribuidoras por trabalhar além do cinema, TV e vendas internacionais, o VOD (Video on Demand), como uma distribuidora digital. Possui contratos com plataformas como o iTunes, Google Play, Netflix, NOW, Claro Vídeos, Vimeo, ofertando além de conteúdos longa-metragem e seriados também serviços de delivery (Encoding).

A O2 Play lançou em cinema filmes como CIDADE CINZA (2013), com os grafiteiros Os Gêmeos, LATITUDES (2014), romance com Alice Braga e Daniel de Oliveira que foi parte de um inovador projeto transmídia, JUNHO – O MÊS QUE ABALOU O BRASIL (2014), documentário da Folha de S. Paulo, primeiro filme a chegar aos cinemas e em VOD na mesma data, A LEI DA ÁGUA (2015), documentário de André D’Elia com produção de Fernando Meirelles, A BRUTA FLOR DO QUERER (2016), vencedor de 2 prêmios em Gramado, UMA NOITE EM SAMPA (2016), de Ugo Giorgetti, PARATODOS, doc sobre atletas paraolímpicos que após carreira elogiada pela críticas nos cinemas foi vendido para o mundo todo na NETFLIX, DO PÓ DA TERRA (2016), doc de Maurício Nahas, PESCADORES DE PÉROLAS (2015), ópera com direção de Fernando Meirelles transmitida ao vivo via satélite do Theatro da Paz para 10 salas de cinema, e ENTRE NÓS (2014), A NOITE DA VIRADA (2014) e ZOOM (2016), estes de produção da O2 Filmes em co-distribuição com a Paris Filmes.

Entre os lançamentos da O2 Play nos cinemas estão o longa-metragem TRAVESSIA, filme com Chico Diaz e Caio Castro, o documentário SEPULTURA ENDURANCE, sobre a banda brasileira de metal, COMEBACK, filme vencedor do prêmio de melhor ator para Nelson Xavier no Festival do Rio 2016 e MALASARTES E O DUELO COM A MORTE, grande produção da O2 Filmes dirigida por Paulo Morelli. Também entram na lista o documentário EXODUS- DE ONDE VIM NÃO EXISTE MAIS, produzido pela O2 e dirigido por Hank Levine e o longa A REPARTIÇÃO DO TEMPO, dirigido por Santiago Dellape.

A O2 Play é pioneira em curadoria mundial no iTunes com a seção FERNANDO MEIRELLES RECOMENDA. Esta a primeira vez que a loja da Apple convidou um agente externo para sugerir filmes (confira em itunes.com/fmeirelles).

A O2 PLAY realiza a distribuição digital e encoding para dezenas de títulos e séries, além de vendas para TV e mercado internacional. Tivemos oito longas escolhidos pela Apple dentre “Os Melhores Filmes do Ano” entre 2014 e 2016.

Related posts