Entrega do titulo de Cidadão Carioca a Luiz Mór


Palácio São Clemente em festa luso-brasileira

No último dia 09 de dezembro, sábado, o tradicional Palácio de São Clemente bombou em uma dupla programação luso-brasileira, que reuniu mais de 300 convidados. As 17 horas a entrega do Titulo de Cidadão do Rio a Luiz da Gama Mór, um dos quatro brasileiros que comandaram a Tap Air Portugal nos últimos 17 anos, colocando a empresa como a maior operadora entre o Brasil e Europa e os 20 anos do vitorioso programa Musica do Museu, que possui um enorme êxito também em Portugal.

O convite foi assinado pelo casal Maria Eduardo e Consul de Portugal, Jaime Jordão, pelo jornalista Cláudio Magnavita – autor da ideia de homenagear o Dirigente da Tap, Sergio Costa e Silva presidente do Musica do Museu e o vereador Carlos Caiado, autor da lei que concedeu o titulo de cidadania honorária.

“Mór é gaucho, nos últimos 20 anos foi vice presidente da Varig e da TAP e o evento da entrega do titulo seria no Palácio de São Clemente, para simbolizar o espirito Luso Brasileiro” afirma Magnavita e quando descobrimos que o Musica do Museu comemoraria seus 20 anos no mesmo espaço propus a Sergio juntar os dois eventos, já que a Tap apoia o Musica do Museu, inclusive dedicou uma grande reportagem na sua revista de bordo. Foi um sucesso!”

Com o Palácio lotado, até cadeira extras foram providenciados. Após a emocionante solenidade no qual Luiz da Gama Mór recebeu o titulo de Cidadão do Rio de Janeiro das mãos da primeira dama da cidade, Silvia Jane Crivella, que teve o hino do Brasil e Portugal executado ao piano pelo maestro Marcus Araujo, que na sequencia regeu o conserto da orquestra sinfônica jovem do Rio comemorativo dos 20 anos do Musica do Museu. O conserto foi aplaudidíssimo por convidados do Brasil e Portugal, inclusive de jornalistas portugueses e dirigentes da Tap que vieram ao Rio especialmente para o evento.

O repertório da orquestra incluiu clássicos da musica clássica e alguns sucessos do repertório brasileiro. Ela é formada por criança carentes das comunidades cariocas entre 14 e 17 anos.
A imprensa portuguesa presente deu uma atenção especial a consulesa Maria Eduarda, uma personalidade da vida social de Portugal, onde é carinhosamente conhecida como Dadinha, arquiteta e decoradora famosa no mundo social e nas colunas sociais de Lisboa.
Dadinha cuidou pessoalmente de todos os detalhes dos dois eventos e no mesmo dia ainda organizou o almoço de final de ano do consulado. A consulesa cuidou pessoalmente e com carinho da orquestra, presenteando os jovens músicos e oferecendo um jantar para eles após o aplaudido conserto.

“Mór é muito ligado ao fomento da cultura luso brasileira. Entre os inúmeros eventos foi quem apoiou a temporada do musical que produzi o Cole Porter- Nunca Disse que me amava, da dupla Claudio Botelho e Charles Moeller que fez uma temporada de sucesso no Cassino do Estoril e foi a estreia de Morller & Botelho em Portugal” afirma o produtor e jornalista Claudio Magnavita.
Para o diretor do Rio Convention, Michel Nagy a homenagem a Mór ” é um reconhecimento ao apoio histórico que ele sempre deu ao Rio. Tivemos uma grande parceria na promoção do turismo carioca no mercado europeu”.

Sobre Luiz da Gama Mór
Vice Presidente comercial e marketing da Tap a partir de 2000 e da Varig de 1996 a 1999, foi o responsável pela implantação de voos diários entre diversas cidades do Brasil e Portugal (só di Rio são 17 por semana). Fez de forma continua a grande promoção do Brasil na europa, destacando o Rio de Janeiro. Ele se aposenta em janeiro da Vice Presidência, passando a ser consultor da empresa e passando a residir no Rio e Lisboa. Ele foi o responsável pelo projeto do new-look da Tap. O Rio tem em Luiz Mór o seu maior divulgador no mercado internacional.
Sobre MÚSICA NO MUSEU-20 anos: do Rio para o mundo.
Inspirado nos maiores museus no mundo assim, surgiu, em 1997, no MNBA , o Música no Museu que hoje chega a 80 espaços no Brasil e no exterior. Vinte anos depois, realizando mais de 6.500 concertos gratuitos com 4.000 músicos,incluindo jovens e orquestras de ações sociais em comunidades, cerca de hum milhão de espectadores, trinta premios nacionais e internacionais, Musica no Museu tornou-se a maior Serie de musica clássica do Brasil.
Concertos de janeiro a dezembro e na sua vertente internacional, desde 2006, lindos espaços em cidades de todos os continentes: Europa- Portugal, Espanha, França, Austria, República Tcheca, Italia,Alemanha-Américas: USA inclusive no Carnegie Hall em Nova Iorque, Lacma em Los Angeles, Kennedy Center em Washington), Chile e Argentina. Africa: Marrocos, Asia: India, Vietnam e Oceania, Australia, levando músicos e a musica brasileira para o exterior. E de lá para cá outros sucessos:o Pianestival, Festival Internacional de Pianistas Amadores, o Concours S.A.R Princesse Lalla Meryen-Piano do Marrocos) e o Internacional Santander de Piano (Espanha). Nas comemorações, os 200 anos das chegadas da Corte de Portugal ao Brasil, da Princesa Leopoldina no Brasil, o Ano Brasil em Portugal em 2012 e o Encontro Mundial da Juventude na visita do Papa Francisco ao Brasil .
Outras conquistas: Comemorou os 25 anos das relações Brasil-Vietnam, apresentou-se em São Cristóvão ( Sergipe), logo após a sua escolha pela Unesco como patrimônio da Humanidade, fez a primeira apresentação de música clássica brasileira não só no Museu Guggenheim em Bilbao ( Espanha) como nas cidades de Nova Delhi ( Índia) e Sydney (Austrália). Integrou-se às comemorações dos 725 anos da Universidade de Coimbra e levou música brasileira para a Universidade de Salamanca, na Espanha tendo registros na revista de bordo da TAP e tema de Mestrado na Universidade de Berlim.
Como atividades parelas realiza no seu âmbito, o Festival Internacional de Harpas-RioHarpFestival, na 13ª. versão colocando o Brasil no seu roteiro mundial e renova a musica clássica brasileira com o Concurso Jovens Musicos-Musica no Museu na sua 9a. edição , com um premio anual de U$105 mil da James Madison University-uma escola Steinway- para o vencedor.
Em 2012, completando 15 anos, realizou uma programação especial com os seus melhores concertos escolhidos pelo público, destacando-se Yamandu Costa,Turibio Santos, Arthur Moreira Lima, Arnaldo Cohen, OSB, e Nelson Freire em São João del Rei mas precedido por memorável noite em Tiradentes. Seus programas , feitos por artistas plásticos, foram doados à Academia Brasileira de Filosofia e que ora fazem parte da Sala Música no Museu .

Related posts